Follow by Email

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

O Meu Parto!!!

Olá eu sou o Rodrigo e venho contar como eu conheci os meus papás.
Tudo começou no dia 21 de Abril (quinta-feira) de manhã. A mamã foi ao hospital SFX para uma consulta de rotina, começou por ir fazer o ctg ficou lá uma meia hora (se não mais) porque eu não me mexia. Quando a mamã saiu da sala do ctg foi logo chamada para falar com o médico. O dr estava um pouco preocupado por eu não me ter mexido e disse a mamã para ir comer um pouco de chocolate para eu arrebitar porque com o tempo que eu tinha (37 semanas e 5 dias) devia de me mexer muito. Assim fez a mamã, mas eu nem sinal. Então o dr disse a mamã para ela ir comer um bom almoço e voltar ao hospital nessa mesma tarde para fazer outro ctg de emergência. Como é óbvio a mamã ficou muito preocupada, o que lhe valeu foi o papá estar lá a dar força a mamã para ela não se preocupar que não ia ser nada de grave.
Assim foi a mamã almoçou com o papá e como ainda era cedo descansou. Á tarde por volta das 14h a mamã estava nas urgências á espera de ser chamada. Ficou uma hora no ctg, e eu teimava em não me mexer. A enfermeira que estava ao pé da minha mamã ficou um pouco preocupada e chamou uma dra que levou a mamã para uma sala para lhe fazer o toque. A dra disse a mamã que já estava com três dedos de dilatação, e chamou outra dra para uma segunda opinião, mais um toque e essa dra chamou outra dra para pedir mais uma opinião (ainda mal sabia a mamã que essa dra ia ser mázinha para ela) e ela confirmou que realmente já tinha dilatação feita e fez o toque para separar as membranas, e depois disse a mamã para ir andar muito e voltar la as 20h (isto já eram 18h e qualquer coisa). Então a mamã quando saiu do hospital telefonou ao papá a contar as novidades e então o papa disse para ir ter com ele ao trabalho que assim dava uma caminhada longa e fazia tempo ate as 20h. A caminho do trabalho do pai a mãe começou a sentir uma dores fortes na barriga (ela nem sonhava que eram contrações hehe) quando chegou ao pé do pai já tinha tantas dores que teve de pedir ao papa para chamar uma ambulância para ir para o hospital porque já não aguentava mais as dores. E assim foi, a mamã foi para o hospital de ambulância e por cada solavanco que a ambulância dava na estrada era uma contração que a mamã tinha. O pai ficou tão contente que já não ouvia ninguém a falar com ele e foi dispensado do trabalho. Quando o pai chegou a mãe já estava pronta para ficar internada. A mamã foi sozinha para o quarto porque o pai foi a casa buscar a minha roupinha e foi jantar. Por volta das 22h o papá já estava de novo com a mãe e a mãe já sofria com as contrações, mas ainda não podia levar a epidural, porque ainda só tinha 3 cm de dilatação. O papá foi um querido para a mamã e fazia-lhe massagens nas costas sempre que chegava uma contração. 1h depois la deram a epidural a mamã e assim a mamã e o papá puderam dormir.Mais ou menos por volta das 00h uma enfermeira foi ver cm estava a minha mãe e ainda só tinha quase 4 cm de dilatação, então a enfermeira resolveu rebentar a bolsa onde eu estava para acelerar as coisas. Por volta das 5h a mamã levou a ultima dose de epidural, por volta das 5:20h 5:30h deixou de fazer efeito, e a mamã teve uma enorme vontade de fazer força, mas a enfermeira disse que ainda era cedo para isso. A mãe disse ao pai para chamar uma enfermeira porque já não aguentava mais. Então la foi a enfermeira, fez mais um toque e chamou logo a parteira porque eu já estava prontinho para nascer. A parteira disse logo á mãe para fazer força assim que viesse uma contração ou tivesse vontade de fazer força, e assim foi as 5:45h eu nasci, mas nem tudo correu 100% bem. Quando nasci não chorei porque tinha o cordão enrolado no pescoço, mas a mamã só ficou a saber disso quando já estava tudo bem. Assim que o papá me viu fez um sorriso de orelha a orelha e os olhos ficaram brilhantes e a mãe chorou de felicidade. Foi muito especial ter ido logo para o colinho do papa e ter tentado matar a fome na maminha da mãe. Tive muita pena da mãe que ficou mais de 12h sem comer nem beber, mas ela diz que valeu tudo a pena e que se pudesse voltava atrás para voltar a viver aquele momento tão especial.
Obrigado por lerem a minha historia...



Sem comentários:

Enviar um comentário